domingo, 18 de outubro de 2015

Olhe por dentro




Pegue uma margarida
Dê cinco a seis passos
Deixe ela em seus braços
Depois adormeça.
Cutuque seis pétalas estéreis
Puxe duas inférteis 
Lembre-se, nada há de ser verdade.
Não destrua a flor
Não agora, não...
Abra seus estames suculentos
Pise neles com uma alfinetada 
Deixe-os abertos e sorria
Grãos de pólen voarão a milhas!
Fecundarão margaridas
Surgirão vidas!
Enfim, abrace devagar aquela alma
Há poda da Asterácia, 
julgue por dentro, não por fora
Ela se abrirá, um dia, num lindo girassol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário