terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Poesia dos pés

Um toque suave e acalentador
Uma pele fina e cheirosa
Um beijo ali e outro aqui
Torna a situação fervorosa.
Uma massagem e um afago de leve
Uma apalpada, um resvalo
A erógena fala mais alto.


Um sussurro, uma mordidela
Uma coceira intermitente
O que será da gente?
Neste lambe-lambe desenfreado?
Os pés que tocam, nos excitam
Isso é mais que cortiça
É rolha quente pronta pra saltar!


Nenhum comentário:

Postar um comentário