domingo, 3 de abril de 2016

Olhe ao redor

Imagem de: http://channel.nationalgeographic.com/exposure/content/photo/photo/2079435_deeper-still_jfxeaqbh63vorhnrwcs4oomcjqoxpy7q62c4u66siw3t6qwph3oq_790x445.jpg

Hoje eu tive a ilusória ideia de não olhar pro meu passado e admitir, em mim, os meus erros. Juro que por um momento eu coloquei os fones de ouvido e tentei não ser o mais célere entre os meus desejos de querer desistir de tudo. Contudo, eu mais uma vez não consegui. Cá estou, olhando pras lembranças com um mínimo de entusiasmo, revendo todas as falácias do meu contínuo convívio.

Muitas foram as pessoas que passaram pela minha vida; muitas mesmo. Todas elas deixaram um pouquinho do que eu sou hoje, e fazem parte no que me tornei exponencialmente. Eu sou, sem dúvidas, uma esfera que é composta por um "ti-quim" de cada um que cruzou minhas rotas (algumas nem estavam pré-estabelecidas).

Estava deitado em um colchão numa cama de concreto, quando eu me dei conta de que uma noite pode mudar a vida de uma ou até de muita gente. Eu ainda não sei explicar porque uma noite; senão uma hora, um minuto, um segundo - talvez esteja envolvido à originalidade deste texto. No entanto, continuando, percebi que toda noite algo (ou tudo) muda dentro de alguém (ou outrem). 

Há de se imaginar que a cada noite que se passa uma pessoa muda drasticamente, algo nela mesma ou em alguém, e que isso pode, em suma, acarretar em uma nova configuração do seu ser?!... Eu tenho lembrado de como é difícil, ou nem tanto assim, recordarmos das noites que tivemos e que mudaram nossas vidas subitamente. Isso é fantástico! O melhor ainda é imaginar que toda noite há pessoas mudando, tendo-nas como especiais e únicas; revelando segredos, desvendando medos, encontrando-se no vasto mundo; olhando olhos alheios e se encantando por seus tons que as fazem palpitar a alma. É inexplorável e inimaginável inferir o quão orbital é a silhueta do universo e que a cada instante estamos tão diferentes do instante anterior e o estaremos do sucessor. Inexplicável. Falamos muitas vezes com a alma. 

Já foi dito, em partes românticas aqui do Blog, que todos estão numa atmosfera de amor dinâmica, que quando você não está nela, outros a estão; e ainda desfrutam de uma benevolente canção animalesca capaz de leva-los a loucuras e conduzi-los a ininterruptas sinérgides de uma dança.

É "palpitável"! Numa grotesca imaginação que tenho agora, posso intervir em meus pensamentos oscilatórios e decidir por qual caminho seguir, antes de sair por aí reclamando aos cantos que o cosmos não me beneficia, ou que talvez não tenha a sensação de pureza em meu ser, por defeitos que eu mesmo me coloco (aplico-me). 

Isso aqui é uma união dos pensamentos que vão e vêm em uma cascata de emoções que só acontece quando notamos que estamos vivos! 
Olhe ao seu redor.



Deixe comentários e situações de uma noite (e pessoas envolvidas) que o fizeram delirar!

Obrigado por ler até aqui.


Nenhum comentário:

Postar um comentário