domingo, 26 de julho de 2015

TRI- ÁS-SI-CO


São encantos que a vida nos dá...
Emoções que nos destoam e nos prendem
Suspiros avulsos que percorrem o sistema
Que me deixam deveras aquém da compreensão humana.
São dúvidas latentes e persistentes
São ensaios e mutações fantásticas
Grunhidos de Centrossauros esquecidos.
É a relva macia que nos aboleta
São sons de Pterossauros nos cercando
Frutos do mato quicando
São vulcões ativos em chamas.
Eloquentes e demasiadamente enrubescidos
Coração saltitante e feroz
Com boca seca a percorrer os ouvidos
A estimular, talvez, todos os sentidos.

São encantos que a vida nos dá...
São pessoas como você que me deixam assim
É doideira enlouquecida desvairada
É vontade de apertar e não soltar.
É algo que não se explica, se constrói
Mas confesso... quero você toda hora,
Você vive desde o Triássico, e eu só te encontrei agora.



Nenhum comentário:

Postar um comentário