quinta-feira, 4 de junho de 2015

Entre as estações...

Um céu acinzentado, uma gota ácida numa pele - nem branca, nem negra -, mulata.
Um arrepio que contorceu as espinhas em espirais.
Um vento suave e delicadamente cadente, vindo do horizonte sadio.
Um toque quente em meio à geladeira biótica, que surtiu em um avanço.
Um beijo molhado na boca seca, com a língua no palato. 
E as estrelas brilharam....
O vento tornou-se quente, chamativo - verão!
A árvore da esquina refletiu a porção iluminada da lua e uma folha voou até os pés...
O cheiro verde se fez em primavera e assim os horizontes se abriram.
Cada gota abrasou-se na pele e tornou o momento equilibrado.
Assim, o outono chegou...
Trazendo uma aventura e uma batida de coração.
Uma apalpada gostosa estourou uma fluente corrente energética.
E quando se deram conta, um cama apareceu e não tinham como fugir.
As estações uniram-se formando apenas uma::::::::: amor, amor, amor, amor...


Viva o amor em suas diversas formas! Apenas ame! 






Nenhum comentário:

Postar um comentário