sábado, 21 de março de 2015

Mudanças

A vida se faz tão interessante ultimamente que eu não sei se posso relatar isso aqui. Neste exato momento as palavras me fogem a mente e eu vejo o quanto eu cresci. Não pelo fato das palavras me serem falhas, mas sim, pelos dias de experiência que eu venho vivendo desde que me libertei dos meus medos, das minhas angústias, das minhas culpas, das minhas pedras. Foram-se dias de tormenta em minha vida, de derrotas, de lágrimas e de paradas cardíacas. Foram-se dias de reflexões e reflexões, a fim de se tentar chegar em algum lugar, e o mais interessante é que eu andei; eu caminhei. Não sei se muito ou pouco, mas eu andei, sai da linha de partida e busquei a de chegada, mesmo sem saber quando e como chegaria. Nossas vidas é uma almejada trajetória em que traçamos metas, rotas e no meio destas tudo acontece. Sim! T.U.D.O. Às vezes, planejamos algo, mas nada saí da maneira como queríamos; às vezes, pensamos e idealizamos muita coisa, mas nem metade delas temos de verdade, de concreto; às vezes, deliramos um futuro que, para aquele momento, seria o melhor a se ter, ou o melhor futuro que nos caberia; porém, a vida passa, ciclos e ciclos são retomados, e notamos que na verdade a vida nos reserva algo muito mais intenso, muito mais delirante, recalcitrante, de maneira que nos levanta, que nos acorda, que nos imprimi a verdadeira marca do porquê aqui estamos, do porquê aqui está você, eu, ele, nós! A vida é cheia de surpresas e eu me pego pensando em como ela é boa, em como eu queria viver com esta sensação maravilhosa de que a vida é extremamente benevolente e que ela vai sempre me trazer a verdadeira paz, o verdadeiro conforto, a tranquilidade... Por que, heim, vida, tu não és dessa maneira sempre? Por quê?...
A vida por si só te prende numa rede sem volta. Até que provem o contrário você será a vítima, o refém; e dela só podemos ter certeza de uma coisa: precisamos nos tornar heróis! Precisamos conquistar nosso espaço; nossos ideais podem e devem ser alcançados. E assim se vão gerações e gerações, onde uma transformação é levianamente substituída por outra e as mudanças vão ocorrendo, vão ocorrendo e vão ocorrendo... Quando nos damos conta, a vida passou, transformando-nos em uma esfera polida, ou pelo menos o mais perto disso, em que as experiências vividas nos foram passadas para nos tornarmos SERES HUMANOS; e assim, bem lá na frente - logo ali - vamos nos despedir de todos e de tudo, porque nossos passos foram cumpridos e já estamos libertos a encarar uma nova etapa.
Viver é isso... É se dar a cada dia como se não houvesse o amanhã, até porque o amanhã é tão incerto...




Viva sem medo de ser feliz, porque o mundo pode acabar daqui alguns segundos e seus desejos irão embora numa explosão sem volta.


Assista ao vídeo acima e sinta a emoção que o autor deste texto teve ao escrevê-lo!

Obrigado por me acompanhar até aqui!


Nenhum comentário:

Postar um comentário