domingo, 1 de março de 2015

Amorosidade

Eu me nutro
Eu me encho do vazio inesperado
Eu me alimento do sangue derramado
Eu me sacio dos verbos da expressão
Eu me acomodo na monção
Nos desejos insanos, 
Nas buscas humanas
Nas teorias mais insensatas

Dou valor à prática
E mesmo que eu pudesse existir sem a existência do antinatural
Eu me veria livre do mal
Porque aqui, neste imenso e salgado coração, só há uma coisa
O adeus a ilusão
De que um dia te tive em meus pensamentos exauridos
Amo amar as palavras de amor...
Amo você...






Nenhum comentário:

Postar um comentário