quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Quero flertar


Ele passa
Meus olhos o acompanha
Aquele seu jeito único
Aquela camisa mal abotoada
Aquela calça apertada,
Seus dentes flamejantes
Seu rosto bravejante.
Aboleto-me no sofá
Ainda meus olhos o cerca
Uma barba rude
Um braço forte delirante
Um lábio rosado
Mãos que me são utópicas
Sua voz contagiante
Ah, eu o quero...



À noite, eu reviro os lençóis
Penso na camisa mal abotoada
Naquela calça apertada
Quente fico e lhe desejo.
Depois, sonho com um beijo
Uma roçada, um afago gostoso.
Se me aboleto demais, eu caio
Se permaneço intacto
Haja flama que corrói
Delírios sobre aquele corpo custoso
Ah, eu o quero...

No outro dia, a mesma coisa
Meus olhos o acompanha
Seu andado me instiga
Seu jeito me cativa
Meu peito esvai-se apertado
Ai! Estou apaixonado.
Este que me encanta
Que me faz enrubescido
Onde flores murcham à sua ausência
Até meu nome se faz esquecido
Ah, como eu o quero...



Se identificou? Então, comente... Se não, comente mesmo assim, expresse sua opinião!

Um comentário:

  1. Queridos visitadores, antes que haja comentários a este respeito, o Blog não tem intuito pornográfico, aliás, trata-se de literaturas e escritas no geral, portanto, não se surpreendam quando virem escritas com certo teor pornográfico. Esta poesia ,aliás, é um exemplo da expressão do desejo carnal homossexual.

    ResponderExcluir